Monthly Archives: Janeiro 2012

médico que não é hipocondríaco é porque não vai aos treinos

Passei duas horas a ver se uma mancha vermelha no braço estava a crescer, porque podia ser grave. Dois dias a apalpar um gânglio debaixo da orelha, a ignorar a dor de garganta e a ter pesadelos com linfomas.

Hipocondríacos deste mundo, tereis aqui médica que vos oiça. Só não me apareçam com doenças contagiosas, está bem?

Confesso que nunca partilhei daquela ideia-frase-feita de que nunca devemos voltar aos sítios onde fomos felizes. Já voltei a muitos sítios onde fui muito feliz e fui igualmente ou ainda mais feliz no regresso.

Já aos livros da minha vida, confesso, tenho muito medo de voltar.

por que não nasci para féshionista

Quando vejo uma peça de que gosto, a primeira pergunta que faço é: e quando é que eu usava isto? 90% das vezes a resposta é nunca e 95% dessas não acabam em compras.

dúvida existencial #1

Como é que uma pessoa se concentra, quando podem estar a passar-se coisas tão importantes nas suas entranhas?

uns sapatos amarelos e eu sem pés para tacões

Vim aqui para fazer um post sobre uns sapatos que vi e que me apeteciam, mesmo sabendo que seria para viverem confortavelmente no meu armário e não nos meus pés. Depois reconsiderei e achei que não saberia dizer nada sobre isso, além de que ando fascinada com quase tudo o que é amarelo mostarda. E também não me parece que este seja um blog em que se fale de sapatos, a menos que seja para dizer mal.

síndrome de peter pan

Dizem que o crescimento é um processo contínuo e gradual e eu até acredito. Mas acho que só nos apercebemos disso por fases, o que implica que para nós que crescemos nos pareça que o fazemos em degraus. Decidir ter um filho é um degrau muito, muito grande. Mais do que juntar livros e contas, mais do que assinar papéis e comprar casa e dizer que é para sempre – ter um filho é passar a ser crescido.

Neste passo, toda a gente ganha um novo nome, daqueles que trazem um peso de anos. Nós passamos a ser pais, os pais passam a avós. E de repente parecemos todos mais velhos. Nós, que até estávamos ali paradinhos, que até parecia que não acrescentávamos anos aos anos. E eu, eterna angustiada com esta coisa de me acabar e de eles se me acabarem, fico com vertigens deste degrau maior que todos os outros degraus.

post sem qualquer relação com o anterior

Sou tão boa e subtil a dar notícias como o Enola Gay.

pin the tail on the donkey



(daqui)

Tentar engravidar é como andar dias e dias de olhos vendados, a tentar espetar a cauda na porra do burro, sabendo perfeitamente que o burro só lá está meia horita, algures.