nunca o mundo se esvazia de surpresas

Saiu um artigo numa revista médica altamente conceituada que falava de uma senhora que tinha uma espécie de “calcificações” (espécie porque não eram de cálcio, eram de flúor, creio) no esqueleto por consumir muito chá. Uma pessoa lê estas coisas e preocupa-se, sobretudo porque passou as últimas épocas de exame todas a litradas diárias de chá e ainda hoje, apesar de mais limitada na escolha, gosta do seu chazinho sem cafeína diariamente e do ocasional verde pela manhã. Abre o artigo, lê com atenção e respira de alívio. A senhora, parece, consumia o equivalente a 150 saquetas de chá por dia. Cento e cinquenta! Acho que nem se o usasse para tomar banho conseguia consumir tanto chá.

Anúncios

12 thoughts on “nunca o mundo se esvazia de surpresas

  1. Luna diz:

    Ó mulher e eu que enclausurada com a tese já cheguei ao limite de beber 5 litros de chá (e infusões) num dia?
    Mas neste caso resta saber outras coisas, como: foi o chá ou a água em demasia? é que a água nos states é fluorinada.
    Anyway, nem consigo imaginar como é possível consumir 150 saquetas por dia: no meu extremo dos 5 litros (aconteceu uma vez), são duas saquetas por litro, e cada pacote tem geralmente 20: a mulher consumia mesmo mais de 7 pacotes de chá por dia? parece-me quase impossível, mesmo que o snifasse.

    • Mariana diz:

      Pois, isso o artigo não explica e foi a mesma dúvida que eu tive. Mas seja como for, 150 saquetas de chá, hiper concentrado ou em doses líquidas industriais, é sempre uma monstruosidade.

  2. Luna diz:

    p.s. mas desde a outra notícia que apareceu de uma mulher que morreu por consumir 10 L de coca cola diários, já nao digo nada. (e mais uma vez suspeito destas quantidades, eu bem sei quantas vezes fui à casa de banho no dia dos 5 litros de chá, que deve ser parecido com a média da gravidez)

  3. Margarida diz:

    🙂 lindo!

  4. Margarida diz:

    Se calhar comia directamente o chá das saquetas!!

  5. Luna diz:

    Já agora, entretanto já li um artigo mais informativo sobre o assunto, e a mulher fazia uma espécie de chá “super denso”, com as tais mais de 100 saquetas por dia – ou seja, não era mesmo o excesso de água fluorinada, era mesmo usar aí o equivalente a umas 50 saquetas por litro.

    • Mariana diz:

      A minha dúvida mantém-se… Onde é que o chá tem esse fluor todo? Tinha mais lógica vir da água, mas sendo assim já não sei.

      • Luna diz:

        pois, também não sei, mas possivelmente o chá em si terá fluor? segundo li, o médico que diagnosticou a condição tinha visto casos semelhantes na índia. deixa ver se encontro o artigo que li.

  6. Luna diz:

    não encontro o artigo, mas encontrei isto:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Skeletal_fluorosis

  7. Luna diz:

    ah, e ja agora, segundo li no artigo que não consigo encontrar, a situação é reversível, desde que se pare de beber chá aos quilos, e as “calcificações” vão sendo diluídas e eliminadas naturalmente.
    simplesmente o nosso corpo não está preparado para processar tanto fluor, mas uma vez parando, consegue retomar a sua normal eliminação.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: