manifesto de maternidade

Eu até fazia um baby blog feshionista, mas o meu vai ser o puto mais off fashion das redondezas. Não temos padrões rococó, nem laços nem bordado inglês. Temos muito algodão, alguns bonecos, frases giras. Mas temos sobretudo roupa confortável, de material bom para a pele da criança mas barato, que para lhe vestir duas vezes não é preciso coisas a custar duas fortunas.

A minha criança poderá sujar-se desde que nasce até que deixe de querer. Rasgar os joelhos a jogar futebol, estourar as sapatilhas a subir às árvores, encher as camisolas de nódoas de fruta se sair à mãezinha. Não quer dizer que não ande giraço, já ali temos coisas bem catitas. E não é nada difícil resistir à tentação – nesta fase basta olhar para a etiqueta do preço, estimar o número de vezes que vai vestir e sair bem depressa da Chicco, da Lanidor e de outras em que só entrei brevemente, inebriada de hormonas e de pouca racionalidade.

Portanto não estejam à espera desse lado da coisa. Quando a criança nascer não prometo que não surjam por aqui algumas gracinhas – afinal, dizem (que eu ainda não sei), mãe é mãe. Mas de dias de grávida mal-disposta, como bem sabem, e de mãe mal-disposta (como saberão daqui a uns meses) continuará a ser um blog farto.

Anúncios

6 thoughts on “manifesto de maternidade

  1. Pec diz:

    eheheh O melhor é aquilo que é um espelho de nós. 😉

  2. Filipa diz:

    A roupa deixa de servir mesmo muito rápido… Até dá pena. Tenho uns fatinhos de malha que adorava e que ele vestiu duas vezes, a ultima das quais já mais na versão calção do que na versão calça. Para o primeiro mês (pelo menos) investe em roupa prática. Eles dormem praticamente o dia todo, muito encolhidos.

  3. Wallis diz:

    é só boas notícias 🙂
    (eu conheço quem tenha comprado botas dolce&gabbana para a bebé…Não sei o que faria/farei, mas no Continente já vi coisas giras, boazinhas e baratas)

  4. innocent bystander diz:

    pois, bom senso. também tive uns dias enebriados, mas nessas lanidores agora só entro nos saldos. comprei umas fatiotas de calça e camisola para a minha, tamanho 3 meses, acabou por só vestir nas visitas raras à bisaavó. uma pena. em casa sempre de babygrow e mesmo nas saídas, muitas vezes, ia assim, com uma manta por cima.

  5. Queen of Hearts diz:

    Eu nos primeiros meses variei entre coisas emprestadas e algodões e babygrows baratinhos mas bons. Então com as descargas líquidas que às vezes sobem até ao pescoço (perdão pelo pormenor escatológico), adianta de pouco vesti-los de rococó, só se for para estragar na primeira vez de uso. E mesmo que as roupinhas sobrevivam à dura prova da resistência da fralda, uma segunda vez ainda se veste, mas raramente se chega a uma terceira. Não vale mesmo a pena.
    O meu filho só teve um fatinho da Knot nos primeiros meses, e foi porque a minha mãe, morta de desgosto por o rapaz não ter uma roupinha assim… domingueira, tomou as rédeas da situação.

    • Mariana diz:

      A minha sogra, se eu deixasse, também tomaria as rédeas e fá-lo-ia de bom grado para 10 carroças. Mas como por cá domingueira só a preguiça, não vale a pena 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: