Category Archives: vida de estudante

tenho um livro de medicina que nem só de medicina sabe

The reasonable man adapts himself to the world; the unreasonable one persists in trying to adapt the world to himself. Therefore, all progress depends on the unreasonable man.

George Bernard Shaw, 1903

Anúncios

a norte nada de novo

Não tenho nada para contar. Tenho um filho de cinco-quase-seis meses que não dorme mais que duas horas seguidas, e portanto eu também não. Mas ri muito, faz festinhas e já anda agarrado aos nossos dedos. Perdão, falta ali uma vírgula: já anda, agarrado aos nossos dedos. Não há maior prazer para ele que correr a casa pelo próprio pé e à custa das nossas costas. É um doce e é impossível ao mesmo tempo e eu com tanto sono, quase meio ano sem dormir os neurónios que já devem ter morrido.
Eu cá ando, a tentar estudar e fazer exames com este cérebro meio vazio meio adormecido e a tentar não pensar nos semestres que aí vêm, que se a criança não começa a dormir ainda caio para o lado ou lá se vai a medicina de uma vez e eu não posso, não posso desistir desse sonho pelo qual lutei tanto.
Ser mãe continua a ser a melhor e a pior coisa do mundo. Isto não melhoram pois não?

lições de humildade ao domingo de manhã

Escrevo iatrogenia e o corrector automático corrige para arrogância. O corrector automático é mais esperto do que nós.

you know nothing, john snow

A quantidade de copianço que se vê nos exames de medicina era suficiente para vos converter à homeopatia.

é que só muda o bicho

A minha criança foi hoje à pediatra pela primeira vez. Ao fim de 10 minutos já tinha feito duas mijadelas e uma grande bolsada na marquesa. Depois venham-me dizer que pediatria não é veterinária, venham.

discos pedidos

Hoje alegremente se jantariam conquilhas e chouriço assado, acompanhado de pão e broa e um branco bem gelado, no larguinho de Cacela-a-Velha, depois de um dia de molho na Fábrica. Alternativamente também já seríamos felizes com um arroz de carne de panela de pressão, com um tinto do Douro e um mar de estrelas no céu da nossa serra.

Em vez disso, temos neurolépticos e antidepressivos e mais uma série deles para empinar. Correr por gosto é melhor do que contrariada, mas às vezes cansa tanto.

sabes que a coisa não vai correr bem quando

tens 10 minutos para colher história clínica a um doente, então senhor Asdrúbal, porque é que veio cá?, e ele responde olhe, eu ando cá por causa do Hitler.

medicina em mnemónicas #quase4

Parece que há uma mnemónica perdida, usada para decorar as camadas do escroto, que reza que “Salazar deu o cu e ficou virgem”, disse-me uma professora no outro dia, sem se lembrar se era mesmo assim. Não é, o escroto tem mais camadas que aquela frase tem palavras, mas nem ela se conseguia lembrar nem eu consegui descobrir o dito auxiliar de memória. O que é uma pena, que frases deste colorido histórico deviam ser preservadas em cera.